O perigo constante da umidade em edificações

O perigo constante da umidade em edificações
novembro 13, 2019

A postura atual do mercado em exigir que empreendimentos sejam construídos em prazos e custos cada vez mais reduzidos, infere aos procedimentos construtivos uma velocidade de execução acelerada, que pode mostrar-se eventualmente nociva ao desempenho desejado, uma vez que, projetos são elaborados para que a execução seja rápida e barata, e esta celeridade pode provocar o surgimento de anomalias posteriores, prejudiciais aos futuros usuários. Neste cenário, as edificações enfrentam um constante e perigoso adversário: a umidade.  

Decorrente da presença indesejável da água em elementos construtivos, a umidade nas edificações é um dos problemas mais frequentes e exige atenção especial dentro do ramo da engenharia civil, não somente devido à complexidade dos fenômenos envolvidos, como também aos problemas relacionados às falhas construtivas, principalmente na contenção do seu aparecimento.

A ação da umidade em edifícios não é apenas a causa de patologias diretas, ela age também como um meio influente para que grande parte das anomalias em construções possam ocorrer, sendo fator significativo para o surgimento de eflorescências, ferrugens, mofo, bolores, perda de pinturas, de rebocos e até a causa de acidentes estruturais.

Existem várias origens para o surgimento de umidade nas construções, podendo ser advinda do solo através da capilaridade, resultante de vazamentos em redes hidráulicas, condensação da água e principalmente pela precipitação das chuvas. A conduta de prevenção contra estas ocorrências deve estar em todas as etapas de construção, partindo desde o planejamento do projeto à execução e manutenção, objetivando resguardar os futuros usuários de possíveis danos subsequentes.

Algumas das principais formas construtivas de prevenir a infiltração de água, e minimizar patologias de umidade em ambientes fechados são a impermeabilização, utilização de calhas, rufos, ralos, pinturas especiais e ventilação adequada. Dentre estas, segundo a NBR 9574 (2008), a alternativa mais eficiente para evitar a passagens de fluidos para elementos construtivos é a execução de impermeabilização de proteção nos locais que exijam estanqueidade.

A impermeabilização é uma técnica que visa impedir a infiltração de água na estrutura, preservando assim seus componentes da degradação agressiva. Cada edificação requer uma técnica diferente que adeque melhor às solicitações do meio em que está inserida, para que através deste escudo contra a água, seja assegurada a garantia de proteção, salubridade, segurança e bem-estar.

Outra forma indispensável de combate a incidência nociva da umidade é através das Inspeções e manutenções preventivas periódicas, que podem ser orientadas por informações contidas no conjunto de projetos relativos da edificação, ou executadas por profissionais específicos,  que através de material técnico direcionado, possam indicar e orientar de forma correta quanto aos procedimentos avaliativos e corretivos, recebendo o auxílio do manual de utilização, inspeção e manutenção, produzido de acordo com o especificado em norma.

Posted in Marvin Cavassani by informesindicoon