Elevadores: Do Atendimento Normativo à Satisfação dos Usuários

Elevadores: Do Atendimento Normativo à Satisfação dos Usuários
setembro 26, 2019

Uma das reclamações mais rotineiras em um condomínio, quer seja comercial, quer seja residencial, é sobre elevadores, e quase na totalidade a culpa é apontada à manutenção da empresa prestadora do serviço. Contudo, poucos usuários possuem o conhecimento que o problema pode ter origem antes da construção da edificação, quando foi elaborado o projeto dos equipamentos de transporte vertical – elevadores.

Ainda que os serviços de manutenção, quando não eficientes, possam interferir diretamente na satisfação dos usuários dos elevadores, o cálculo de tráfego, realizado na fase de projeto da obra, pode ter sido elaborado com alguns equívocos conceituais e/ou adequações econômicas, e proporcionar insatisfação no uso destes equipamentos.

A NBR 5.656/83 apresenta os parâmetros para efetuar o adequado cálculo de tráfego de passageiros, de acordo com os tipos dos empreendimentos (residencial, comercial, misto, hotéis, restaurantes, etc), definindo assim a capacidade e intervalo de tráfego padrões, e a melhor especificação técnica do elevador a ser instalado.

Importante ressaltar que o dispositivo normativo referenciado (NBR 5665) norteia os cálculos de tráfego de elevadores de passageiros para estabelecer as especificações mínimas das unidades a serem instaladas, assegurando condições satisfatórias de uso. Por serem condições mínimas exigíveis, torna-se evidente que ainda que respeitando a norma pertinente, uma edificação pode não ter um grau de satisfação de seus usuários igual à outra edificação, de mesmas características, mas com especificações dos elevadores além do exigido em norma.

Como exemplo cita-se um empreendimento com somente um elevador instalado, respeitando as condições mínimas preconizadas em norma, e outro empreendimento, de mesmas características, com dois elevadores instalados. Ou ainda, um elevador com velocidade de 2,0m/s e um outro de velocidade de 1,0m/s.

Quantidade de elevadores instalados, número máximo de passageiros (carga), velocidade dos equipamentos e tipo de porta (abertura central ou lateral), além dos sistemas eletroeletrônicos, são variáveis técnicas que podem fundamentar uma característica de projeto e fazer toda a diferença nos histórico de reclamações dos usuários, e não somente atribuir o problema de má eficiência do equipamento à empresa que presta serviço de manutenção, pois em muitos casos; a empresa é trocada e os problemas permanecem.

Diante destes argumentos, enfatizando que cada caso pode ter explicações técnicas distintas, faz-se necessário a elaboração de um Laudo Técnico por uma assistência técnica especializada para avaliar a funcionalidade dos elevadores, além de uma rigorosa análise revisional dos cálculos pertinentes ao dimensionamento dos equipamentos, de acordo com as normas pertinentes, verificando in loco se os equipamentos possuem as especificações técnicas previstas no projeto, e por último,  auditar as manutenções (preventivas e corretivas) realizadas pela empresa contratada.

Serviço:
LA ROCCA PERÍCIAS
(27) 3376-5662
(27) 99997-9700
www.larocapericias.com.br
contato@laroccapericias.com.br

Posted in Liliane Fernandes by informesindicoon